Concurso “Conhecendo o Judiciário”

19 jul

O desembargador Paulo Teles lançou no dia 6 de maio um concurso de redação para ensino fundamental e médio de Goiás: Conhecendo o Judiciario.

O concurso tem como tema “A atuação do Juiz para a promoção da justiça”, e eu como uma apaixonada por redação (e não muito por áreas jurídicas) já escrevi alguns “experimentos” de redação para a primeira fase e que, ate onde sei, tive muito sucesso.

Segue-se um de meus experimentos. Torçam por mim!

Justiça, a base da virtude

“Não existem fatos, apenas interpretações”. Segundo Nietzsche, a justiça é um produto lingüístico com total dependência de sua interpretação. Definir justiça seria algo inconciliável, mais para organizar as idéias e formar alguma base, podemos classifica-la em duas posições: a subjetiva e a objetiva.

Subjetivamente, temos a justiça pela ética, cultura e bom senso de cada ser, o que seria impossível de se conciliar. Não existiria justiça de fato pois o que seria justo para um, poderia não ser para outro.

Mais por outro lado tem-se a visão objetiva de justiça, da qual a sociedade é mais justa com base nas leis da república, porem toda essa objetividade se perde entre a bagagem cultural que essa sociedade possui e as opiniões que geraram tais leis… No fim, temos a mesma questão: o que é justiça?

Aos olhos de Platão, os filósofos são os mais adequados a se aproximarem de um julgamento justo, afinal, desprezam os prazeres, as riquezas e as honras por serem homens virtuosos, sendo a base da virtude, a justiça.

Com base nas idéias do Des. Moacir Leopoldo Haeser, um juiz deve ser parcial em favor da verdade e da justiça que possui em mãos, que; no mínimo, deve avaliar alem das conseqüências visando também as suas causas e adequando a lei no caso, em busca de transformações sociais. Alem do mais, um juiz deve buscar a justiça com eficiência tendo conhecimento que em alguns casos, a justiça tardia pode ser uma injustiça, devido a obrigação de seguir formulismos, muitas vezes, inúteis.

No fim, a justiça é definida particularmente em cada um, mais com a obrigação de se incorporar nas leis que mais estiverem de acordo com seu estado.

A justiça construída pelo homem pode não ser perfeita, mais o dever do juiz é fazer com que a justiça seja feita o mais rápido possível dentro das condições do juiz.

Maria Eugênia Rodrigues

Anúncios

11 Respostas to “Concurso “Conhecendo o Judiciário””

  1. Adressa Amorim 25 de agosto de 2010 às 1:42 AM #

    Adorável sua escrita no texto acima, gostei muito, preza bastante o lado rude da sociedade estarei torcendo por você.Boa Sorte suponho que será uma eficiente Jornalista.

    Tenha Um bom dia!

    Andressa Amorim.

    • Maria Eugênia 6 de setembro de 2010 às 3:08 PM #

      Obrigada! Muito obrigada mesmo. Espero ser uma eficiente jornalista, dou meu sangue por essa profissão (futura). rs

  2. Ester Luiza Coelho de Aguiar 27 de agosto de 2010 às 1:46 AM #

    Achei muito interessante o que li acima.Sou nova mais penso em fazer direito e ser uma Juiza.O que li me fez gostar mais ainda dessa profissão ,que para mim é uma das mais importantes que existe.Sei que existe alguns juizes “incorretos” mais sou fão e do parabéns para aqueles que exercem sua função da melhor maneira possivél.Parbéns pra quem fez esse texto e muito obrigada também, pois ele me ajudou muito a entender isso melhor.

    • Maria Eugênia 6 de setembro de 2010 às 3:07 PM #

      Agradeço a você por ter tido um tempinho pra dar uma conferida na minha página. Fico muito grata por ter te ajudado.
      Boa sorte na sua pretendida carreira no direito. 🙂
      Beijos.

  3. Guerra 24 de setembro de 2010 às 4:58 PM #

    Parabens Mary!!!!!
    Muito bacana isso !!! mesmo nao entendendo muito do assunto…achei que vc mandou muitooo…. parabenssss… un beço primuxca!!!

    • Maria Eugênia 24 de setembro de 2010 às 5:06 PM #

      Obrigada, primuxco! rs. Depois te explico pra entender o assunto. rs

  4. Fabiana Miranda 27 de setembro de 2010 às 4:14 PM #

    Olá Maria,
    Gostei do que li.
    E qual a imagem que vc tem do Judiciário?
    Abordou ( muito bem) o ideal de justiça e o papel do juiz, mas poderia ter falar como vc ver o Judiciário em Goiás.
    Já nasceu jornalista.
    Bjs

    • Maria Eugênia 16 de abril de 2013 às 10:47 PM #

      Obrigada Fabiana 🙂 Darei mais foco nesse ponto da proxima vez.

  5. Fabiana Miranda 27 de setembro de 2010 às 4:22 PM #

    Olhando pra essa menina nem imaginamos a dimensão de tanto potencial. Adorei a criatividade e as postagens do seu blog (muito interessante).
    Continue ousando
    ” Torna-se aquilo que és” ( Nietzsche )

    Abraços
    Fabiana Miranda

  6. Ester Luiza Coelho de Aguiar 26 de outubro de 2010 às 10:24 PM #

    Maria Eugênia, eu que agradeço, e muito obrigada, e boa sorte pra ti também.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: