Underground em Goiânia.

28 dez

Tendo em vista várias bandas underground em Goiânia (minha cidade), algumas me chamam a atenção por ousar. Sempre tem a idéia de que Goiânia só produz sertanejo, “quando eu quero mais, eu vou pra Goiás”… Mais não é bem assim, não!

Aqui em Goiânia existem duas boates que com certeza muda a idéia de muita gente ai que acha que aqui só tem roça e sertanejo.

A Pop House de dia é uma loja com artigos retrôs, decoração retrô e afins; e de noite é uma, pode-se dizer, boate. Nem sempre tem festas, mais tem sempre umas discotecagens básicas, pra animar.

Metrópoles. Com seus drinks loucos, decoração que se choca entre o futurismo e o retrô, o Metrópoles é um bom lugar pra se ir na sexta-feira e no Sabado anoite.

Ideal para quem procura diversão e discotecagem com músicas dos anos 80, 70 e 6o, abrindo espaço para os Dj’ s mostrarem o que sabem, quando não tem show (Ou as vezes, ate depois do show). Os Dj’s undergrounds da cidade (Virgínia Burlesque, FelipeFrog, Mitsuo, Michael Nite, João Lucas entre outros). É um lugar bem arrumado e, pessoalmente, muito lindo!! Mais sendo um local, um tanto quando underground, nada mais apropriado que apresentações de bandas undergrounds, e algumas delas ate mesmo de fora : Madame Butterfly e o Burlesco, Johnny Suxxx n´ the Fucking Boys, Daniel belleza e os corações em fúria, cassino supernova, Polaroyd Club, Os dinamites, Girlie Hell entre várias outras.

Dentre tais bandas, ambas possuem coisas em comum: Aparecer e inovar.

Um pouco de algumas das bandas Goianas:

Johnny Suxxx n’ the fucking boys defende o lema glitter, glamour, trash vagabundo, violência e pretensão, de acordo com perfil no TramaVirtual. “Tudo consiste basicamente em pilhagem de clichês do rock, riffs manjados e muita cara de pau.” Integrantes: Hélio Jairo Zancopé Neto,  Danilo, Douglas Ramirez, Johnny Suxxx

Madame Butterfly e o Burlesco. Uma banda que tem como palavra chave “inovar”. Sua ousadia os levaram a ser a primeira banda de electro em Goias. Viajam em melodias simples, diretas, totalmente surreais e críticas. Para combinar com as músicas, nada mais conveniente que um visual surreal, e com isso, surge os nome dos integrantes: Madame Butterfly (Kely Fernandes) e o Burlesco (Cilas Rigozino).

Girlie Hell, formada por apenas meninas, tem um som influenciado por Girlschool, Runaways, Joan Jett, The Donnas, Crucified Barbara. “Um estilo até então nunca visto na cidade” segundo o blog. Com muita coragem, a banda feminina tem o nome “Girlie Hell” com o intuito de associar a feminilidade e sensualidade à agressividade do rock. Suas integrantes são: Bullas, Lorrayne Vieira, Loueee (Carolina Pasquali), Sarah e Kaju Stoppa.

Contatos: Virgínia Burlesque (virginiaburlesque@yahoo.com.br)

FelipeFrog (twitter.com/felipefrog)

Mitsuo (http://www.orkut.com.br/Main#Profile?uid=1899420507015067544)

Michael Nite ( Fico devendo)

João Lucas / Jhonny Suxxx n’ the fucking boys ( www.tramavirtual.com.br/johnny_suxxxwww.mysapce.com/johnnysuxxx)

Madame Butterfly e o Burlesco ( http://www.myspace.com/madamebuterflyeoburlesco )

Girlie Hell (www.girliehell.com)

Anúncios

Violência doméstica.

8 dez

A violência em si, desencadeia várias hipóteses para solucionar o “porque” desse ato. São questões que colocam em crítica a ética, a moral, a psicologia e a psiquiatria.

Na década de 80 foi feita uma pesquisa na Alemanha (H. Haefner e W. Boeker -1982) entre os criminosos com problemas mentais, e foi descoberto que o número de doentes mentais presos, não era anormal, comparado-se com toda a população. Apesar disso, os estudos sobre a associação de problemas mentais com violência, não pararam.

Tendo em conta que os criminosos com problemas mentais tinham uma idade media, por ocasião da prática do crime, de 10 anos a mais do que os criminosos comuns. Ou seja, os criminosos com problemas mentais, tinha um retardamento na sua expressão de violência.

A violência é uma grande agravo à saúde e como é o culpado por vários  transtornos ao bem estar das pessoas, tem sido um grande problema a ser resolvido pelos médicos, pois é um problema que vai alem de métodos já testados pela medicina.

“A violência consiste em ações de pessoas, grupos, classes ou nações que ocasionam a morte de seres humanos ou que afetam prejudicialmente sua integridade física, moral, mental ou espiritual.”

A violência domestica no Brasil.

No Brasil, a cada 15 segundos, uma mulher é violentada fisicamente, psicologicamente e sexualmente, segundo a Secretaria de Políticas para as Mulheres.

Mais da metade das mulheres mortas no país, são assassinadas por seus parceiros ou ex-parceiros. Estima-se que por ano, 300 milhões de mulheres são agredidas fisicamente por seus maridos ou parceiros. Em países da América Latina, um grande número de mulheres, afirmam ter sido vítima de violência pelo parceiro. Em alguns países, esse percentual chegou a 50%. O menor índice foi de 20%.

Modalidade de VDCA Incidência Pesquisada Número total de casos notificados
1.996 1.997 1.998 1.999 2.000 2.001 2.002 2.003 2.004
Violência Física 525 1.240 2.804 2.620 4.330 6.675 5.721 6.497 6.066 36.478
Violência Sexual 95 315 578 649 978 1.723 1.728 2.599 2.573 11.238
Violência Psicológica 0 53 2.105 893 1.493 3.893 2.685 2.952 3.097 17.171
Negligência 572 456 7.148 2.512 4.205 7.713 5.798 8.687 7.799 44.890
Violência Fatal 135 257 42 22 17 473
Total 1.192 2.064 12.635 6.674 11.141 20.261 15.974 20.757 19.552 110.250

Violência fora do Brasil.

Um projeto Europeu pretende ir alem dos hematomas deixados pelas agreções. Uma equipe da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, coordenada por Henrique Barros desenvolveu o projeto DoVE.

Esse projeto pretende ir alem de marcas visíveis de um caso de violência doméstica. “Não queremos o óbvio. Não queremos o braço partido. Queremos as formas mais subtis. Queremos perceber em que medida doenças para as quais nós não temos ainda um conhecimento exato das suas causas podem estar relacionadas com situações de violência. Não vamos fazer uma análise qualitativa. Perde-se muito tempo e ganha-se pouca informação”, explica Henrique Barros. Os dados recolhidos, tornaram mais fáceis para entender o problema da violência nos vários países europeus, possibilitando comparações e estabelecendo uma relação mais direta com os problemas de saúde associados a violência doméstica e contra a mulher. O DoVE permiti uma melhor compreensão do ato violento.

 Em portugal, nos seis primeiros meses de 2009, a Associação Portuguesa de Apoio à Vítima registrou 8.496 casos de violência domestica, enquanto no mesmo período de 2008 foram contabilizados 7.788 casos. Em Portugal, a violência domestica corresponde a 9% dos crimes.

Algumas das leis mais famosas contra a violência domestica:

Lei nº 11.340 { Maria da Penha

 

Lei nº 9.099/95 {Doutrina Jus Navigandi

5(00) dias com Webb.

7 dez

Hoje vim animada para falar sobre um diretor que mais li críticas (e boas) ultimamente. Marc Webb.

Recentemente lançado, o filme “500 dias com ela” (título original: 500 days of summer) fala de um amor, de uma incompreensão e de uma volta por cima. É… é assim que é a vida.

Bom, eu como uma Goiana infeliz, por assistir filmes no cinema “atrasados”, tenho que esperar o filme entrar em cartaz. Mais enfim, como uma curiosa desenfreada, vou me saciar parcialmente, estudando o Diretor. Afinal, o que é uma obra sem seu autor?! (Espero que concordem comigo que é NADA, absolutamente!).

O autor de quem mais ouço ultimamente, é sem dúvida, Marc Webb!

Marc, aquele cara que fez comerciais e curtas e video clips para bandas como Hot Hot Heat, My Chemical Romance, entre muitos outros…

-Não. Não é só isso.

Marc foi premiado no Aspy Comedi Festival, com o curta “Seascape”. Um filme divertido por não pensar que é divertido! (É, é isso ai. Vai entender!). Depois disso, Marc decidiu que não iria mais fazer comedia, iria fazer um documentário de um primeiro dia de escola de uma criança no Iraque. Depois disso, todos riram da cara dele.

Webb estudou no Colorado College  NYU, por um semestre e depois no centro de artes por alguns meses (segundo seu site). Webb recebeu sua graduação e todos a sua volta o mandaram calar a boca!

Seu pai é um matematico e sua mãe uma biologa, seu irmão teve apenas um bebe, cujo o nome é Iris. Ah, ele tem uma foto, se quiser ver…

Com certeza, essa foi a biografia mais estranha que eu ja li! Mais enfim, foi ele mesmo que escreveu, não posso fazer muito sobre isso, apenas escrever para que vocês, blogueadores, leiam! =D

Confiram (quem souber ingles, ou a existência de tradutor online..) no site dele: www.marcwebb.com

Fest Cine – Goiânia (GO)

8 nov

Nuno, Justine e MarinaOntem fui convidada para o festcine de hoje no Goiania Ouro (Cinema e teatro). A abertura é hoje, dia 8 de Novembro e conta com a mostra do Longa “Quanto dura o amor?” do cineasta Roberto Moreira.

Trata-se de histórias de amor em locais da avenida Paulista em São Paulo. Os casos se inter ligam um ao outro e que sempre terminam em fracasso.

Nuno que tem um relacionamento serio uma Justine, que tem um caso com Marina, que larga o namorado em uma cidadezinha de interior e vai tentar a sorte em São Paulo. Marina acaba tendo seu terceiro relacionamento com  Nuno. Justine que divide apartamento com Suzana que tem um caso com seu colega de trabalho, Gil… Entre outros casos não bem sucedidos no filme.

Com trilha sonora de Radiohead {High and Dry}, segundo Geórgia Costa Araújo, produtora do filme, foi preciso um ano para que pudessem ganhar o direito de colocar a música no filme. Depois de finalizado o filme, foi mandado uma copia para a Inglaterra para que a banda britânica pudesse avaliar se permitiria ou não a trilha sonora da banda.

Apesar de todo o transtorno, da demora de um ano para a altorização, custou caro, mas é uma questão de custo e benefício. Será bem reconpensado.

Um dos grandes marcos do filme, é a participação de um transexual. Maria Clara Spinelli iniciou sua carreira de atriz com um papel um tanto quando delicado, tanto como pessoal como publico, porém teve grande elogios! “Socialmente, vou ter que sacrificar um pouco minha privacidade, mas ser atriz foi o preço disso”, declarou.

O elenco conta com Dani Carlos, Silvia Lourenço, Paulo Vilhena, Maria Clara Spinelli, Gustavo Machado, Fábio Herford, Paulo Miklos, Paula Pretto e Maria Clara Spinelli.

Sobre o Festcine que apresentará esse longa, aqui esta a programação:

5º FestCineCine Goiânia – 09 a 16 de novembro 2009

Filme convidado de Abertura
Dia 9 de novembro – 19h30
Quanto Dura o Amor? – Dir.: Roberto Moreira – Fic. – 35mm – 83′ – 2009 – SP

Filme convidado Encerramento
Dia 16 de outubro – 19h30
A Erva do Rato – Dir.: Julio Bressane – Fic. – 35mm – 80′ – 2009 – RJ


Mostra Competitiva Oficial – de 10 a 15 de novembro

Dia 10 novembro – 19h30
Pedra como Passagem – Dir.: (Coletiva) Grupo EmpreZa –  Ani. – Dig. – 05′ – 2009
Os Inquilinos – Dir.: Sergio Bianchi – Fic. – 35mm – 103′ –  2009 – SP
Dia 10 novembro – 21h30
Um Morto na Sala – Dir.: Robney Bruno – Fic. – Dig. – 14′ – 2008
Um Homem de Moral – Dir.: Ricardo Dias – Doc.- 35mm – 84′ – 2009 – SP
Dia 11 novembro – 19h30
Nevile e o Lobisomem De Goiânia – Dir.: Marcio Venicio e Juca Fernandes – Fic. – Dig. – 20′ – 2007
Kalunga – Dir.: Luiz Elias, Pedro Nabuco e Sylvestre Campe – Doc. – Dig. –  77′ –  2009 – GO
Dia 11 novembro – 21h30
Som de Sucata – Dir.: Diego Mendonça – Doc. – Dig. – 13′ – 2009
Cabeça a Prêmio – Dir.: Marco Ricca – Fic. – 35mm – 105′ – 2009 – SP
Dia 12 novembro – 19h30
Rosa, Uma História Brasileira – Dir.: Luiz Eduardo Jorge – Doc. – Dig. – 20′ – 2008
Corpos Celestes – Dir.: Marcos Jorge e Fernando Severo – Fic. – 35mm – 91′ – 2009
Dia 12 novembro – 21h30
Soldado da Paz – Dir.: Guilherme Gardinni – Ani. – Dig. – 04′ – 2008
Eu, Eu, Eu José Lewgoy – Dir.: Cláudio Kahns – Doc. – Dig. – 85′ – 2009 – SP
Dia 13 novembro – 19h30
Marimbondo Amarelo – Dir.: Amarildo Pessoa – Fic. – Dig. – 20′ –  2009
Só Dez Por Cento é Mentira – Dir.: Pedro Cezar – Doc.- Dig – 80′ – 2008 – RJ
Dia 13 novembro -21h30
Clareza – Dir.: Carlos Cipriano – Fic. – P&B – Dig. – 02′ – 2009
Insolação  – Dir.: Felipe Hirsch e Daniela Thomas – Fic. – 35mm – 100′ – 2009 – RJ
Dia 14 novembro – 19h30
Ressignificar – Dir.: Sara Vitoria – Doc. – Dig. – 17′ – 2009
Se Nada Mais Der Certo – Dir.: José Eduardo Belmont – Fic. – 35mm – 116′ – 2008 – SP
Dia 14 novembro – 21h30
Descrição da Ilha da Saudade ou Baudelaire e os Teus Cabelos – Dir.: Alyne Fratari – Fic. – Dig. – 20′ – 2008
Dzi Croquettes – Dir.: Tatiana Issa e Raphael Alvarez – Doc.- Dig. – 110′ – 2009 – RJ

Dia 15 novembro – 19h30
Cattum – Dir.: Paulo Miranda –  Ani. – Dig. – 10′ – 2008
O Homem Que Engarrafava Nuvens – Dir.: Lirio Ferreira – Doc. – 35mm – 107′ – 2008 – RJ
Dia 15 novembro – 21h30
É Madeira É Mamoré – Dir.: Ângelo Lima – Doc. – Dig. – 15′ – 2009
Historias de Amor Duram Apenas 90 Minutos – Dir.:Paulo Halm – Fic. – 35mm – 90′ – 2009 – RJ

E ainda conta com amostra de vídeos universitários e caseiros:

Vídeos Universitários
Teatro Goiânia Ouro – 12  a 14 de novembro
Dia 12 de novembro –  5ª feira – 19h30
Os Flanelinhas – Dir.: Henrique Augusto – UCG – Doc. Dig. – 20′ – 2007
Monólogos em Série – Dir.: Bruno Lino e Thiago Queiroz – UEG – Fic. – Dig. – 07′ – 2008
Rorschach – Dir.: Rafael Abdala e Aishá Terumi – UFG – Ani – PB – Dig. – 03′ – 2009
Vida Longa, Revoada – Dir.: Igor Augusto Pereira – UFG – Fic. – Dig. – 09′ – 2009
X Boy – Dir.: Fernando Dias – CAMBURY – Fic. – Dig. – 02′ – 2009
1 real – Dir.: leandro Amaral – UCG – Fic. – Dig. – 11′ – 2009
Resgate do Anonimato – Dir.: Ketley Dias – FASAM – Doc. – Dig. – 15′ – 2009
Sempre Sofia – Dir.: Renato Cirino – UFG – Fic. – Dig. – 07′ – 2009
Edadrebil – Dir.: Rafael Abdala e Aishá Terumi – UFG – Fic – PB – Dig. – 07′ – 2009
Total: 81′

Dia 13 de novembro – 6ª feira – 19h30
No Ar – Dir.: Eduardo Rocha e Gabriel Vasconcelos – ALFA – Fic. – Dig. – 20′ – 2009
O Peso da Consciência – Dir.: Fernando Dias  – CAMBURY – Fic. – Dig. 03′ – 2009
Vigília do Amor – Dir.: Camila Leite – UEG – Fic. – Dig. – 07′ – 2009
Eu Já Não Caibo Mais Aqui – Dir.: Benedito Ferreira – UEG – Fic. – Dig. – 04′ – 2009
Caso do Vestido – A Outra Versão da História – Dir.: Raphael Gustavo da Silva – UCG – Fic. Dig. – 08′ – 2009
Cuba Libre – Dir.: Vítor Teodoro Pereira – UFG – Fic. – Dig. –  02′ –  2009
2 Dias no Poço – Dir.: Carlos Cipriano – CAMBURY – Doc. – Dig. – 01′ @009
Nóia é Jeca ? – Dir.: Diego de Moraes Campos – UFG – Doc. – PB – Dig. – 10′ – 2009
Impej – Dir.: Rafael de Almeida – UFG – Doc. – Dig – 10′ – 2007
David – Dir.: Thiago Queiroz  – UEG – Doc. – Dig. – 15′ – 2008
Total: 80′

Dia 14 de novembro – sábado – 19h30
Elina – Dir.: Ronaldo Moura – FAZAM – Fic. – Dig. – 18′ – 2009
Maria Grampinho, Suas Touxas, Seus Botões, Seus haveres – Dir.: Maianí Gontijo e Verônica Brandão – UEG – Doc. – Dig. – 10′ – 2008
Caso Cotidiano – Dir.: Delano Vaz e Antônio Maranhão – CAMBURY – Doc. – Dig. – 07′ – 2009
Ilusão – Dir.: Jader Augusto – UFG – Fic. – Dig. – 12′ – 2008
O (des) valor do Lixo – Dir.: Fábio Hiroite Nucada – UFG – Doc. – Dig. – 15′ – 2009
Entre Duas Histórias – Dir.: David de Barros, Gabriella Paraguai, Lissa Sousa e Mondrian Peixoto – UEG – Ani. – Dig. – 04′ – 2009
Amor Sem Palavras – Dir.:  Thiago Augusto – UEG – Dig. – PB – Dig. – 03′ – 2009
Vai (L) Divina ao vale do Sol – Dir.: Ademir Luiz e Alunos da UNIFAN – UNIFAN – Doc. – Dig. – 10′ – 2009
Total: 79′

Total geral Vídeos Universitários: 240′  = 4h

Vídeos Caseiros
Teatro Goiânia Ouro

15 de novembro – domingo – 19h30
Estela – Dir.: Rafael de Almeida – Doc. – Dig. – 03′ – 2009
Deutschen erklären \”Das Ende eines Films – Dir.: Bruno Lino – Fic. – Dig. – 03′ – 2009
Poesias no Singular – Dir. Deusimar Gonzaga – Doc. – Dig. – 05′ – 2009
Sinal de Fumaça – Dir.: Mara Medeiros – Doc. –  Dig. – 05′ – 2009
Mão Sangrenta – Dir.: Marcélio Barros – Fic. – Dig. – 05′ – 2009
Psicoisa – Dir.: Cristiano Mullins – Fic. – – Dig. – 04′ – 2009
O Vampiro de Goyaz – Dir.: Ademir Luiz – Fic. – Dig. – 05′ – 2009
Filha de um cinéfilo – Dir.: Carlos Cipriano – Doc. – Dig. -01′ – 2009
Reduto dos Anjos – Dir.: Carlos Cipriano –  Ani. – Dig. – 01′ – 2009
Lilás – Dir. Carlos Cipriano – Doc. – Dig. – 25″ –  2009
Cento e Oitenta Graus – Dir.: Carlos Cipriano –  Doc. –  Dig. – 25″ –  2009
Corumbá  IV – Dir.: Wiber Costa Dias –  Doc. – Dig. – 05′ –  2009
Cinésia – Dir.: Estevão Keglevich – Doc. –  Dig. – 05′ – 2009
Uma Trilha, Um Cerrado, Uma Família  – Dir.: Fred Policarpo – Doc. – Dig. – 05′ – 2009
Mad Traffic – Dir.: Walles Chaves – Doc. – Dig. – 03′ – 2009
Bateu? – Dir.: Simone Caetano – Fic. – Dig. – 01′ – 2009
O Homem da Ciência – – Dir.: Marcos Estêvão – Ani. – Dig. – 05′ –  2009
Pequi O Herege – Dir.: Rodrigo Assis – Fic. – Dig. – 05′ –  2009
Ataque – Dir.: Rodrigo Assis – Fic. – Dig. – 04′ –  2008
O Retorno da Mulher Algodão – Dir.: Rodrigo Assis – Fic. – Dig. – 05′ –  2009
Não é Nada Disso – Dir.: Camila Leite – Fic. – P&B – Dig. – 02′ – 2009
Todo Mundo Tem  – Dir.:  Cláudia Fernandes e Piva Barreto – Fic. – Dig. – 02′ – 2009
Prisioneiros – Dir.: Wedersom Arantes e Leandro Amaral – Fic. – P&B – Dig. – 02′ – 2009

Fonte: http://www.rollingstone.com.br/secoes/novas/noticias/5759/

Por Maria Eugênia Rodrigues. (Mary Diamond)

Conclusões sobre “Nina” (Curta nacional – Heitor Dhalia)

18 out

Confesso que não tenho uma grande histórico de filmes curtas assistidos, mais hoje, assistindo “Zoom” na tv cutura, me fascinei com o pouco que pude perceber do filme.

O autor (Heitor Dhalia) de “Nina”, tem uma viagem de colocar a vida real com o mundo dos desenhos e dando um ar de descontrole, insanidade… Particularmente sinto uma especie de adimiração tanto por autores quanto por atores que conseguem descrever a insanidade de alguma forma.

Ando em busca da forma mais clara de definir a insanidade para colocar em meu blog, mais toda vez que escrevo, parece faltar alguma coisa… Parece não ser convincente! De qualquer forma, não vou desistir; mesmo que esse livro saia na vespera de minha morte, sairá digno!

Levando em consideração que o gosto de uma pessoa não é o mesmo que o outro, é muito provável que não seje digno para todos, mais que pelo menos para uma pessoa seje… Se isso acontecer, ja me sentirei grata pelo trabalho!

Quero poder ajudar com minha história, pessoa que passem por coisas parecidas, ou ate mesmo iguais. Um teste COMPROVADO que “fake” não dá certo! E nem sempre o amor verdadeiro é o tal “verdadeiro”.

“Tire a dor do amor, e o amor não existirá mais.” Palavras de William Beckett (The academy is…) Isso nos leva a pensar que não existe amor sem dor, e curiosamente, sem dor não existe amor. É meio obvio isso, mais sempre é a coisa mais improvavel que se vá pensar na frase.

Realmente, quando não se sofre para se consquistar a pessoa amada ou qualquer outra coisa, não se dá valor. Daí vem a frase “Tire a dor do amor, e o amor não existirá”… Se não existir dor, não se aprenderá a realmente valorizar e assim, nos leva a pensar também, que existe pessoas que quanto mais apanham do mundo, ou do amor, mais se persiste. Deveras não existe amor sem a dor, mais ate quando persistir?

Fica a pergunta. Se alguém se animar a responder… O palco é todo seu!

Hello world!

18 out

Welcome to WordPress.com. This is your first post. Edit or delete it and start blogging!