Tag Archives: Musicalidade

MGMT

6 dez

Electric feel now!

A banda americana de psychedelic pop, MGMT surgiu em meados de 2006 pelas atenciosas mãos de Ben Goldwasser e Andrew VanWyngarden.

Em Novembro de 2007 a revista Rolling Stone nomeou a banda como uma das 10 bandas a serem assistidas em 2008 e daí para frente a banda foi ganhando espaço em várias rádios britânicas e australianas pelo trabalho de “Oracular Spectacular”, primeiro album da banda.

Neste ano (2010) a banda ganhou seu primeiro Grammy Award por “Best New Artist”, porém em 2009 a banda já havia consagrado um Grammy Award para a dupla de DJs, Justice que fizeram o remix de “Electric Feel” e ganharam Grammy de “Melhor remix gravado” (“Best Remixed Recording”).

O segundo album da banda, Congratulations, foi lançado em meados de Abril de 2010 e liberado para download no site oficial da banda (www.whoismgmt.com).

Em 2009, em um de seus shows, MGMT foi aberto com uma rápida apresentação de Paul McCartney que admitiu ser um fã da banda.

Seus albuns são:

  • Clibimg to new lows (2005) DEMO
  • Oracular Spectacular (2008)
  • Congratulations (2010)

Integrantes:

  • Andrew VanWyngarden – vocal, guitarra, teclado, baixo, bateria
  • Ben Goldwasser – vocal, teclados, guitarra
  • Matthew Asti – baixo
  • James Richardson – guitarra, backing vocal, teclado, percussão
  • Will Berman – bateria, percussão, backing vocal
Anúncios

The Perishers

25 nov

Deep swedishes

{Profundos suecos*}

A banda sueca, The Perishers, de indie pop rock sem muita popularidade vem ganhando olhares desde 2001, com um rock calmo, leve, sincero e profundo. A banda com seis integrantes tem como vocal e guitarra, Ola Klüft, Martin Gustafson como backing vocal e teclados, Pehr Åström com baixo e Thomas Hedlund como baterista.

Apesar de não serem muito conhecidos na mídia, são bem notados por onde passam, um grande exemplo disso aconteceu em 2005 quando a banda foi pessoalmente escolhida a dedo por Sarah McLachlan, uma cantora e compositora canadensse conhecida por suas baladas emocionais que venderam mais de 40 milhões de albuns, para abrir seu show.

O show com a cantora e compositora canadensse lhes renderam grandes destaques em trilhas sonoras de series como “The O.C.”, “One tree hill”, “Greek” e ganhou destaque em “Veronica Mars” em um episódio culminante da segunda temporada da série, com a música “Sway”.

Seus albuns são:

  • From Nothing to One (2002)
  • Let There Be Morning (2003)
  • Victorious (2007)

Subgêneros do Indie rock

12 fev

O indie rock é a denominação das bandas Inglesas e independentes dos anos 80, que foram ganhando publico nos anos 90.

Existem vários estilos dentro do Indie rock:

Baroque pop: Um folk rock estilo anos 60 misturado com o experimentalismo, como por exemplo, a inclusão de uma orquestra na música.

Britpop: Estilo que mistura quase toda a história do rock britânico. Desde a British Invasion (Rolling Stones, Small Faces etc), passando por bandas de Punk Rock como Buzzcocks e Wire, até chegar em Stone Roses e Happy Mondays, é por isso que varias bandas desse estilo são bastante diversificadas e “ecléticas”. (ex: Supergrass, Blur, Franz Ferdinand, Oasis e Pulp)

Disco punk: Mistura perfeita da New Wave com o Punk Rock, adicionando às vezes um pouco de Funk dos anos 70. (ex: LCD Soundsystem, !!!, Out Hud, Radio 4 e Rapture)

Dunedin Sound: Um tipo de Indie Pop diferenciado, ele usa guitarras “jingly-jangly”, baixo repetitivo e algumas vezes bateria. Algumas bandas de Punk Rock já usaram esse tipo de estilo. (ex: Superette, Garageland, The Bats e 3Ds)

Indie Pop: Enon, Blonde Redhead, Blood Red Shoes, Liam Finn, Les Savy Fav

Garage rock revival: com som de “rock and roll” dos anos 60, a maioria das bandas que são desse subgênero tem um grande influência do Delta Blues. (ex: Strokes, Von Bondies, White Stripes e Eagles Of Death Metal)

Madchester: Estilo que misturava Indie Rock, Dance Music e Pop Psicodélico. Graças ao estilo, várias bandas do Britpop foram formadas. As letras do estilo eram muito influenciadadas pelas drogas sintéticas (que eram novidade na época). (ex: Happy Mondays, Stone Roses,The Inspiral Carpets e A Guy Called Gerald)

Math rock: Mistura riffs dissonantes e batidas diferentes (7/8. 11/8 ou 13/8 por exemplo). O Math Rock é um estilo realmente complexo fundindo o Rock, Metal, Progressivo e até mesmo Punk. (ex: Don Caballero, 1.6 Band, Bellini, Creedle, Braid, Inlantic, The Jesus Lizard e Surrogat)

Indie folk: Um revival do folk dos anos 60 com elementos do indie rock. (ex. Beirut, Kings Of Convenience, Neutral Milk Hotel, Devendra Banhart, The Decemberists)

Noise pop: Mistura a atitude do Punk Rock com noise, ecos e várias outras características bastante encontradas no universo Pop dos anos 80. (ex: The Jesus and Mary Chain)

Post-punk revival: O estilo mistura as guitarras do Punk,”riffs” vindo de bandas como Television e Gang Of Four, os teclados da New Wave, algumas vezes Eletrônica. Tudo isso criado através de uma “melodia” Pós Punk. (ex. Bloc Party, Franz Ferdinand,Futureheads e Interpol)

Post-rock: Estilo amplamente alternativo que mistura Rock e Jazz flertando a Eletrônica, tudo isso num clima Ambient (ex. Tortoise, A Silver Mt. Zion, Do Make Say Think e Fly Pan Am)

Slowcore (ou Sadcore): Rock Alternativo com batidas lentas e letras tristes, se confunde muito com o Indie do final dos anos 80. (ex: (Smog), Low, Galaxie 500, Bedhead e Pedro the Lion)

Twee pop: Mistura doces melodias e doces letras. A sonoridade é a partir de guitarras leves, vocais femininos e, às vezes, instrumentos de criança. (ex. Camera Obscura, Belle & Sebastian, The Flaming Lips, Architecture In Helsinki, Tully Craft e Girls in Hawaii)

Underground em Goiânia.

28 dez

Tendo em vista várias bandas underground em Goiânia (minha cidade), algumas me chamam a atenção por ousar. Sempre tem a idéia de que Goiânia só produz sertanejo, “quando eu quero mais, eu vou pra Goiás”… Mais não é bem assim, não!

Aqui em Goiânia existem duas boates que com certeza muda a idéia de muita gente ai que acha que aqui só tem roça e sertanejo.

A Pop House de dia é uma loja com artigos retrôs, decoração retrô e afins; e de noite é uma, pode-se dizer, boate. Nem sempre tem festas, mais tem sempre umas discotecagens básicas, pra animar.

Metrópoles. Com seus drinks loucos, decoração que se choca entre o futurismo e o retrô, o Metrópoles é um bom lugar pra se ir na sexta-feira e no Sabado anoite.

Ideal para quem procura diversão e discotecagem com músicas dos anos 80, 70 e 6o, abrindo espaço para os Dj’ s mostrarem o que sabem, quando não tem show (Ou as vezes, ate depois do show). Os Dj’s undergrounds da cidade (Virgínia Burlesque, FelipeFrog, Mitsuo, Michael Nite, João Lucas entre outros). É um lugar bem arrumado e, pessoalmente, muito lindo!! Mais sendo um local, um tanto quando underground, nada mais apropriado que apresentações de bandas undergrounds, e algumas delas ate mesmo de fora : Madame Butterfly e o Burlesco, Johnny Suxxx n´ the Fucking Boys, Daniel belleza e os corações em fúria, cassino supernova, Polaroyd Club, Os dinamites, Girlie Hell entre várias outras.

Dentre tais bandas, ambas possuem coisas em comum: Aparecer e inovar.

Um pouco de algumas das bandas Goianas:

Johnny Suxxx n’ the fucking boys defende o lema glitter, glamour, trash vagabundo, violência e pretensão, de acordo com perfil no TramaVirtual. “Tudo consiste basicamente em pilhagem de clichês do rock, riffs manjados e muita cara de pau.” Integrantes: Hélio Jairo Zancopé Neto,  Danilo, Douglas Ramirez, Johnny Suxxx

Madame Butterfly e o Burlesco. Uma banda que tem como palavra chave “inovar”. Sua ousadia os levaram a ser a primeira banda de electro em Goias. Viajam em melodias simples, diretas, totalmente surreais e críticas. Para combinar com as músicas, nada mais conveniente que um visual surreal, e com isso, surge os nome dos integrantes: Madame Butterfly (Kely Fernandes) e o Burlesco (Cilas Rigozino).

Girlie Hell, formada por apenas meninas, tem um som influenciado por Girlschool, Runaways, Joan Jett, The Donnas, Crucified Barbara. “Um estilo até então nunca visto na cidade” segundo o blog. Com muita coragem, a banda feminina tem o nome “Girlie Hell” com o intuito de associar a feminilidade e sensualidade à agressividade do rock. Suas integrantes são: Bullas, Lorrayne Vieira, Loueee (Carolina Pasquali), Sarah e Kaju Stoppa.

Contatos: Virgínia Burlesque (virginiaburlesque@yahoo.com.br)

FelipeFrog (twitter.com/felipefrog)

Mitsuo (http://www.orkut.com.br/Main#Profile?uid=1899420507015067544)

Michael Nite ( Fico devendo)

João Lucas / Jhonny Suxxx n’ the fucking boys ( www.tramavirtual.com.br/johnny_suxxxwww.mysapce.com/johnnysuxxx)

Madame Butterfly e o Burlesco ( http://www.myspace.com/madamebuterflyeoburlesco )

Girlie Hell (www.girliehell.com)